A rede Backfence de jornalismo hiper-local, considerada uma das mais promissoras experiências de jornalismo hiperlocal, vai fechar todos os seus 13 sites.
Como não poderia deixar de ser, o fato está gerando uma enorme repercussão na Blogosfera.

O fim do Jornalismo Hiperlocal?
Os pioneiros correm os maiores riscos…
Lições a serem tiradas…
Em direção ao hiperlocal 2.0?
etc, etc, etc
Uma seleção de algumas postagens sobre o assunto pode ser recuperada em Praized.
Jeff Jarvis, no Buzzmachine, sintetiza muitos pontos de vistas que estão sendo circulados quando diz:
“Hiperlocal, eu acredito firmemente, não vai acontecer em um só site. Só funcionará via redes: conteúdos, comercial, social. Necessitamos uma combinação de modelos e plataformas.”
O que Jarvis quer dizer é que um empreendimento desse tipo não pode dar certo senão se funcionar como ponto de agrergação de vários esforços convergentes: jornais, comunidades virtuais, blogs, colaboradores avulsos…
De meu ponto de vista, continua em aberto uma questão central, que Jarvis coloca mas não expande: o que mobiliza os cidadãos a participar em sites dessa natureza?
Ego, pagamentos, influência, altruismo? Tudo isso combinado? E como desencadear esse impulso participativo?
Ou talvez, como questão preliminar e, a meu ver ainda não cabalmente respondida:
Os cidadãos querem, de fato, participar?

marcos palacios