Como foi o quarto dia do curso “Introdução ao Jornalismo de Dados”

Texto: Bruno Santos
Foto: Sophia Morais/Labfoto

Aconteceu ontem (27), na Faculdade de Comunicação (FACOM) da Universidade Federal da Bahia, o terceiro dia do curso “Introdução ao Jornalismo de Dados”. Promovido pela Escola de Dados e o Grupo de Pesquisa de Jornalismo On-Line (GJOL) da Facom, o curso é gratuito e faz parte do programa Partnership for Open Data (POD), uma parceria entre o Banco Mundial, o Open Data Institute e a Open Knowledge para acelerar a abertura de dados em países em desenvolvimento.

Introdução à raspagem e visualização de dados
O quarto dia do curso contou com a aula de Marco Túlio Pires, jornalista e programador que coordena a Escola de Dados no Brasil. Com o tema “Introdução à raspagem e visualização de dados”, os alunos aprenderam como se organizam os códigos das páginas na web, a técnica da raspagem de dados na internet e as melhores formas de se visualizar os dados presentes na rede.

A aula começou com uma exposição sobre o que são os códigos que compõem os elementos de visualização de uma página. Os alunos ainda aprenderam a trabalhar com eles na prática, modificando o conteúdo de alguns sites na internet. Logo depois, o instrutor Marco Túlio explicou aos alunos noções sobre a técnica da raspagem de dados na internet. Eles tiveram a oportunidade de exercitar o processo, retirando informações de páginas na web e organizando-as em tabelas, com a ajuda de ferramentas específicas.

jornalismodedados_sophiamorais_26112014_066

Os participantes foram apresentados ao site “If This Then That” e o quanto ele pode ajudar no trabalho do jornalista. A plataforma automatiza as ações das pessoas nas redes sociais e ferramentas online. O usuário cria uma conta e, ao autorizar o acesso do site a outros que usa, ele pode criar “tarefas” automáticas. Por exemplo, nas manifestações de junho do ano passado, jornalistas podiam solicitar ao site que todas as fotos tiradas pelos manifestantes em determinado local dos protestos fossem enviadas para uma planilha pessoal. Assim, eles podiam ter um panorama do que estava acontecendo. No último momento da aula, Marco Túlio expôs para os alunos conceitos básicos de visualização de dados. Eles analisaram gráficos e viram quais são as melhores formas de tornar os dados mais entendíveis para o público. Por fim, conheceram ferramentas gratuitas disponíveis na web para visualizar dados.