O design que molda as notícias?

Um recente artigo publicado no Nieman Lab questiona: “O design ou o jornalista: quem molda as notícias que você lê em seus favoritos aplicativos?”. O relatório apresentado pelo laboratório reforça a ideia da importância do design como fundamental na decisão de como as notícias devem ser acessadas e compartilhadas.

Segundo o designer de jornais Mario García, para quem trabalha há algum tempo na área, sabe que não se trata de uma nova constatação. Principalmente, para os que vivenciaram as transformações ocorridas nas redações em meados dos anos 1980. A introdução dos computadores e dos softwares de produção gráfica trouxeram algum estranhamento para redatores e repórteres.

Muito mais importante do que relevar o papel entre um e outro, García trabalha na tríade jornalismo, design e tecnologia, cuja soma desenvolve papel-chave nas plataformas digitais. Entre as considerações da Nieman, há um maior poder de decisão do designer sobre a distribuição das notícias, em paralelo a uma cultura industrial de start-ups, o design de softwares comerciais e a iniciativa de redações tradicionais que criam seus próprios aplicativos de notícias.

O relatório aponta também o caso de designers, cuja preocupação abarca muito mais do seu próprio trabalho, que acabam se afastando por completo do jornalismo. Com estas considerações, mostra-se agora, mais do que nunca, a necessidade das escolas de Jornalismo em adotar o desenvolvimento de aplicativos móveis em sua formação.

García comenta,

I do not know how easy it may be to make these designers who “distance” themselves from journalism to be converted to think and to act like journalists.  But, again, this is a process that we accomplished successfully when designers and art directors first became an important presence in newsrooms.

Por outro lado, nestes últimos anos, as experiências de inserção de disciplinas voltadas ao planejamento gráfico também fizeram surgir muitos jornalistas visuais. Aqueles que necessariamente não trabalham com softwares gráficos, mas pensam visualmente e conseguem realizar um planejamento visual para contar uma história. Os dispositivos móveis implementam um novo desafio e o melhor é mesmo adaptar-se aos novos tempos.