Entrevista com os presidenciáveis no Jornal NacionalQuem vem acompanhando a corrida presidencial de 2014, pode ter se admirado com a posição que uns jornalistas se colocam em alguns momentos. Se no começo espantou a ação incisiva – para muitos, desrespeitosa – dos jornalistas do Jornal Nacional, Patrícia Poeta e, principalmente, William Bonner, manifestações nos debates televisivos estranharam muitos dos que assistiam aos encontros entre jornalistas e candidatos à presidência.

No dia 26/08, a Rede Bandeirantes realizou o primeiro debate televisivo dos presidenciáveis. Embora o mediador Ricardo Boechat tenha garantido a fala de maneira igualitária a todos, os outros jornalistas da Band, que fizeram perguntas aos candidatos, foram diversas vezes questionados nas redes sociais por causa das questões tendenciosas. Talvez, o caso mais emblemático tenha sido a pergunta de Boris Casoy ao candidato pelo PV Eduardo Jorge, com comentário da presidenta Dilma Roussef, candidata à reeleição pelo PT. Na ocasião, Casoy identificou as discussões sobre democratização da mídia como censura aos meios de comunicação – tema que revelava considerar importante e por isso retornava a ele, para tratar do modo como acha mais adequado. O jornalista chegou a atacar o partido da atual presidenta, afirmando que eles buscam essa forma de controle, ainda que Dilma não tenha levado essa perspectiva adiante.

Já no primeiro dia de setembro, SBT, Folha de S. Paulo, UOL e rádio Jovem Pan se juntaram para realizar o segundo debate dos candidatos à presidência na televisão. Com apresentação de Carlos Nascimento e com questões menos tendenciosas dos jornalistas, estes pecaram, por sua vez, na formulação das perguntas. Uma dessas ocasiões acarretou no aumento das piadas com o candidato pelo PV. Quando o jornalista Kennedy Alencar indagou o candidato pelo PRTB Levy Fidelix sobre seu partido ser uma “legenda de aluguel”, escolheu Eduardo Jorge para comentar esse ponto. A resposta de Jorge viralizou porque foi sincero ao afirmar: “eu não tenho nada a ver com isso”.

Essas discussões, especialmente nas redes sociais, colocam o papel do jornalista em cheque, sobretudo em um momento de extrema mobilização para se refletir sobre um assunto de relevância nacional. Ainda assim, essa posição parece ter agradado – se não aos espectadores, ao menos aos mandatários da mídia -, pois a Rede Globoanunciou que William Bonner será o mediador no debate de 02/10 que acontecerá na emissora, último antes da votação no primeiro turno.

[pureslideshow] http://gjol.net/wp/wp-content/uploads/2014/09/Eu-n%C3%A3o-tenho-nada-a-ver-com-isso-diz-Eduardo-Jorge.png;http://gjol.net/wp/wp-content/uploads/2014/09/Eu-não-tenho-nada-a-ver-com-isso-diz-Eduardo-Jorge-2.jpg [/pureslideshow]