Como toda previsão desse tipo, esta também corre o risco de se revelar ridícula em alguns anos… Mesmo assim, vamos lá: aí está uma previsão de datas nas quais os jornais “como nós os conhecemos”, estarão reduzidos à “insignificância”.

O Brasil está dentre aqueles países nos quais a “insignificância” ocorrerá primeiro em zonas metropolitanas. O que já é uma previsão altamente questionável, por uma razão simples: qual é historicamente o peso dos jornais “como nós os conhecemos” nas zonas rurais brasileiras?
Aqui uma explicação das previsões, com os fatores locais em ação.
marcos palacios